Saiba tudo sobre Danilo, mais conhecido por todos como Tchê Tchê

Palmeiras

O futebol no Brasil mais do que um simples esporte é a grande paixão nacional, além de quase sempre ser a única chance de ascensão social de alguns garotos vindos dos lados mais pobres do país e tendo a chance de mudar não só a sua vida, mas também a de todos que o cercam, sejam eles família ou apenas amigos.

É o caso do jovem Danilo Neves, vindo de uma das mais pobres áreas da já sofrida Zona Leste de São Paulo para se tornar um dos maiores nomes da atualidade no Palmeiras e destaque com os últimos treinadores que passaram pelo clube.

Não ligou o nome à pessoa? Então pode chamar o jovem Danilo pelo apelido que o consagrou no futebol: Tchê Tchê.

Danilo das Neves Pinheiro nasceu em São Paulo capital no dia 30 de agosto de 1992 e era morador de Guaianazes no extremo leste da Zona Leste da capital paulista. Desde jovem era muito apaixonado por futebol, sendo um jogador de futebol de salão do Juventus, tradicional clube também da zona leste paulistana com sede na Mooca.

Por achar que seu filho tinha talento no futebol o pai de Danilo o inscreveu em um torneio chamado Supercopa Compre Bem, realizado pela rede de mercados para encontrar novos talentos para o clube do grupo, o Pão de Açúcar Esporte Clube.

No primeiro ano Danilo não teve sucesso no teste ainda com 14 anos, mas com 15 conseguiu passar na peneira da Copa Compre Bem no meio de outros 15 mil jovens ficou entre os 4 finalistas sendo chamado para fazer parte das categorias de base do time que entre outros bons nomes revelou Paulinho, hoje no Barcelona e Rafael Carioca, com passagem pelo Atlético-MG e hoje no México.

O Pão de Açúcar apesar de ser um clube de futebol sempre teve o seu nome ignorado por meios de comunicação, sendo chamado sempre de PAEC. Por isso, resolveu mudar o seu nome primeiro para Audax e depois que foi vendido pela rede de supermercados mudou novamente para Grêmio Osasco Audax.

Foi nas categorias de base do Audax que o jovem Danilo recebeu o apelido de Tchê Tchê de um companheiro de clube, que achava Danilo parecido com um garoto com o mesmo apelido de sua rua na infância.

Tchê Tchê subiu para os profissionais do Audax em 2012 e começou a chamar a atenção de outras equipes maiores, sendo emprestado primeiro para o Guaratinguetá em 2014 e para a Ponte Preta e Boa Esporte Clube em 2015.

Um grande detalhe é que durante estes dois últimos empréstimos o jogador buscando mais seriedade pediu para parar de ser chamado de Tchê Tchê e assumiu o nome de Danilo Neves.

Sem chances na Ponte onde jogou apenas uma partida em 6 meses e no Boa onde entrou em campo apenas por 3 vezes voltou ao Audax em 2016 disposto a recomeçar do 0 sua carreira.

Reassumiu o nome de Tchê Tchê e começou a se destacar no time comandado por Fernando Diniz que foi a sensação do Campeonato, ficando com o vice-campeonato perdendo para o Santos na final após ter passado pelo Corinthians nas semifinais.

Ambidestro e podendo jogar tanto no meio campo quando na lateral Tchê Tchê foi contratado pelo Palmeiras ao final do Campeonato Paulista e se tornou um verdadeiro motorzinho no time comandado por Cuca no Brasileirão, sendo peça fundamental na conquista do título.

Tchê Tchê tem um contrato de 3 anos com o Palmeiras, mas já existem boatos de que é constantemente monitorado por clubes do futebol europeu.