Tudo sobre o goleiro Weverton no Verdão.

O Palmeiras

foi cirúrgico em suas contratações para o ano de 2018, não gastando dinheiro de besteira e reforçando o elenco apenas em posições carentes, como nas laterais e na criação do meio-campo. E por conta destas contratações pontuais nenhuma chamou tanto a atenção da torcida como a chegada do goleiro Weverton, que era ídolo no Atlético-PR.

Considerado uma oportunidade de mercado já que o seu contrato no Furacão estava no final, o goleiro chega para uma posição bastante disputada no elenco alviverde, que já conta com dois ídolos da torcida como Fernando Prass e Jaílson. Mas se olharmos mais de perto não é difícil entender por que o Palmeiras foi atrás de sua contratação e ainda gastou dinheiro em um jogador que poderia chegar gratuitamente para o time em apenas 5 meses.

Weverton Pereira da Silva nasceu em Rio Branco no Acre no dia 13 de dezembro de 1987, e jogando nas categorias de base do Juventus do Acre veio participar da Copa São Paulo de Futebol Júnior com o seu clube em 2006. Chamou a atenção em um jogo contra o Corinthians e foi eleito o melhor em campo, sendo contratado logo em seguida para ficar na equipe paulista.

Mesmo assim não teve espaço no clube, sendo emprestado por diversas vezes para Remo, Oeste de Itápolis, América de Natal e Botafogo de Ribeirão Preto.

Após o final do seu contrato resolveu não renovar e em 2010 assinou contrato com a Portuguesa, onde em 2011 fez parte da “Barcelusa” que conquistou o título da Série B do Campeonato Brasileiro.

Em 2012 não chegou a um acordo para a renovação de seu contrato e assinou com o Atlético-PR, clube em que se tornou ídolo e chegou até mesmo a ser convocado para a Seleção Brasileira, onde conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Pensando no histórico recente dos seus goleiros na temporada passada, o Palmeiras foi até o Atlético-PR contratar Weverton para disputar a posição com Fernando Prass, que vem se machucando mais do que o normal nesta reta final de sua carreira e também com Jaílson, muito identificado com a torcida, com moral elevado com treinadores, mas também com um grande histórico recente de lesões.

O contrato de Weverton com o clube paranaense ia até o final de maio de 2018, fato este que faria o goleiro perder toda a fase de grupos da Copa Libertadores da América, todo o Campeonato Paulista e mais sete rodadas do Campeonato Brasileiro, além de obviamente impedir o goleiro de fazer a pré-temporada junto com o restante do elenco do Palmeiras.

Por conta disso, mesmo podendo ter o jogador gratuitamente em 5 meses o Palmeiras concordou em fazer o pagamento antecipado de R$ 2 milhões para ter Weverton já no início da temporada treinando com todo o elenco.

O jogador até o momento ainda não estreou com a camisa do Palmeiras, onde irá utilizar o número 21, um “12 ao contrário” em homenagem a São Marcos. Com apenas 28 anos de idade, o goleiro é visto como um potencial nome para o futuro em um clube que conta com Fernando Prass, com 39 anos e Jaílson, com 36 anos.